Conto | Uma análise do medo em “O enterro prematuro”, de Edgar Allan Poe

Hoje vou dar continuidade à série Comentando Contos do blog com mais um conto de Edgar Allan Poe. Anteriormente comentei o conto O Coração Denunciador, também do mestre Poe, agora vou falar um pouco sobre O Enterro Prematuro, outro ótimo conto dele.

Em O Enterro Prematuro Edgar Allan Poe nos apresenta aquilo que ele julga ser o maior medo que uma pessoa pode sofrer: ser enterrado vivo. No começo do conto o narrador nos apresenta três histórias de pessoas que foram sepultadas precocemente, pessoas que foram dadas como mortas pela medicina. Em todos os três casos essas pessoas acabaram acordando de uma espécie de paralisia e se viram tomadas pelo desespero dentro de seus caixões. Os que foram enterrados precocemente acabam escapando dessa situação e tem suas histórias conhecidas por muitas pessoas. Com tudo isso, nosso narrador (cujo nome não é citado) começa a introduzir seus medos com relação a ser enterrado vivo e nos conta sobre uma experiência desse tipo que ele presenciou. Isso já é o suficiente para fazer o leitor entender sobre o que se trata o conto, portanto, vou parar por aqui para não estragar o fator surpresa.

Falando agora sobre a minha experiência de leitura desse conto, acredito que posso afirmar que esse é um conto bem diferente de tudo que já li de Edgar Allan Poe. O tema não é bem uma novidade, é bem comum o autor desenvolver histórias onde seus personagens são enterrados ainda vivos. Às vezes não exatamente enterrado ou ainda vivo, mas trancafiado, como acontece, por exemplo,  em O barril de amontillado. Achei esse conto muito agradável justamente por essa diferença narrativa, é um conto mais descritivo, que se preocupa mais em apresentar informações sobre esse tipo de medo do que em criar uma história com personagens e locais. É como um relato, no começo uma apresentação de casos de sepultamento precoce e mais adiante um caso “real”, onde é exposto todo o medo que aflige o narrador.

“Ser enterrado vivo é, fora de qualquer dúvida, o mais terrífico daqueles extremos que já couberam por sorte aos simples mortais. Que isso haja acontecido frequentemente, e bem frequentemente, mal pode ser negado por aqueles que pensam. Os limites que separam a Vida da Morte são, quando muito, sombrios e vagos. Quem poderá dizer onde uma acaba e a outra começa?”

Para aqueles que conhecem outros contos de Poe mas ainda não leram O enterro prematuro, essa é uma ótima chance de se surpreender. É diferente e reflexivo sem deixar de ser sombrio e assustador, característica principal do mestre do terror e mistério. Vale acrescentar que essa é uma leitura para ser feita com a expectativa correta, não é o melhor nem um dos melhores contos de Edgar Allan Poe, mas vale a leitura por ser diferente, para tentar entender um pouco melhor o que se passava na cabeça do mestre. Ele sempre nos surpreende.

✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s