Resenha | Admirável Mundo Novo: onde sessenta e duas mil repetições fazem uma verdade

Admirável Mundo Novo (adicione ao skoob) – Ano 634 d.F. (depois de Ford). O Estado científico totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos (pré-condicionados) têm comportamentos (pré-estabelecidos) e ocupam lugares (pré-determinados) na sociedade: os alfa no topo da pirâmide, os ípsilons na base. A droga soma é universalmente distribuída em doses convenientes para os usuários. Família, monogamia, privacidade e pensamento criativo constituem crime.

Vamos abordar novamente o tema distopia aqui no Sr. Machado. Anteriormente falei sobre Fahrenheit 451, de Ray Bradbury (resenha) e dessa vez volto para falar de mais um clássico desse gênero: “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley.

Nessa grande obra vamos encontrar um mundo onde ninguém (creio eu) tem vontade de viver. No livro o mundo é dominado por um governo totalitário, a ciência já está muito desenvolvida e as pessoas possuem um padrão de vida muito diferente do que estamos acostumados. A ciência é utilizada de forma máxima, a vida é criada e manipulada em laboratórios e as pessoas já nascem com seu destino traçado. Desde o principio o ser humano é submetido a um processo de repetição, onde ele escuta várias vezes a mesma coisa para fixar isso em sua mente. Sessenta e duas mil repetições fazem uma verdade.  Existe nessa sociedade um sistema de castas. Uma pessoa que, por exemplo, foi condicionada para ser um ípsilon (casta baixa) nunca terá a oportunidade de ser um alfa (casta superior), por ter sido pré-condicionado, a pessoa nunca terá essa pretensão. O condicionamento é aplicado de forma tão eficiente que as pessoas não almejam nada além do que foi pré-estabelecido, todo ser humano é “feliz” da sua maneira e não questiona em momento algum essa felicidade.

“Tal é a finalidade de todo condicionamento: fazer as pessoas amarem o destino social a qual não podem escapar.”

No livro vamos ter alguns personagens muito interessantes, mas muito mais importante que isso é a forma como nós leitores nos surpreendemos com esse mundo distópico, por isso, não pretendo me aprofundar sobre os personagens da trama. A forma de vida, crenças, individualidades, felicidade, verdade e mentira, tudo isso é bem colocado em Admirável Mundo Novo e gera um desconforto enorme no leitor. É o tipo de livro que te faz pensar em coisas como: “como eles conseguem viver assim?” ou até mesmo “será que um dia o nosso mundo pode ser assim?”. O que quero mesmo é despertar a sua atenção para a leitura desse clássico da distopia, esse é o mais famoso livro de Aldoux Huxley e você precisa ler pelo menos uma vez na vida. Você precisa sentir esse desconforto, precisa sentir um monte de pensamentos nascer em sua mente. É o tipo de livro que marca o leitor para sempre, o tipo de livro “pegajoso”, que não larga o leitor mesmo após um bom tempo após o término de sua leitura.

Aldous Leonard Huxley (Godalming, 26 de Julho de 1894 — Los Angeles, 22 de Novembro de 1963 ) foi umescritor inglês e um dos mais proeminentes membros da família Huxley. Passou parte da sua vida nos Estados Unidos, e viveu em Los Angeles de 1937 até a sua morte, em 1963. Mais conhecido pelos seus romances, como Admirável Mundo Novo e diversos ensaios, Huxley também editou a revista Oxford Poetry e publicou contos, poesias, literatura de viagem e guiões de filmes.

Essa edição de “Admirável Mundo Novo” foi lançada pela Biblioteca Azul (selo da Globo Livros) em 2014. Possui 312 páginas em um formato 14cm x 21cm. A edição é bem caprichada e conta com folhas amareladas (aquela que cansa menos a vista), fonte, diagramação e espaçamento de qualidade. A capa é linda e combina muito com a história do livro. Uma edição digna para um clássico como esse.

✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪ ✪

2 comentários sobre “Resenha | Admirável Mundo Novo: onde sessenta e duas mil repetições fazem uma verdade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s