Resenha | Frango com Ameixas, Marjane Satrapi

Se em Persépolis Marjane Satrapi empreendeu um relato autobiográfico, em Frango com ameixas não é sua própria vida que está em foco, mas a de seu tio. Artista como ela, Nasser Ali começa a narrativa com uma tragédia pessoal: durante uma briga, sua mulher destrói o antigo e precioso tar (um instrumento de cordas da tradição persa) que o celebrizara como um dos maiores músicos do país. Nasser Ali sai em busca de um novo instrumento, mas parece impossível encontrar um que tenha o som tão perfeito como o que ele herdara na juventude, durante seus anos de formação. A procura pelo tar o leva a conflitos com a família, os amigos e sua própria identidade de artista — é como se ela tivesse se rompido junto com o instrumento. Começam a vir à tona, então, as escolhas que ele poderia ter feito e as conseqüências das opções que fez, como a de se casar com a mulher que viria a destruir o seu maior bem.

Quando conheci o trabalho de Marjane Satrapi me interessei de imediato. Tenho muito interesse em ler esse tipo de HQ, com traço simples, preto e branco e tom biográfico. Quando li “Frango com Ameixas” fiquei encantado com a simplicidade que Marjane coloca em sua obra. Aqui temos uma história de vida, morte, amor, felicidade e desejos.

O leitor vai conhecer a história de Nasser Ali Kahn, um homem de meia idade que vive da música e ama o seu tar (instrumento iraniano de percussão). Nasser é casado e tem filhos, leva uma vida tradicional em família e é muito admirado como músico. As coisas começam a mudar na vida de Nasser quando um desentendimento com sua mulher transforma tudo. Em uma discussão, sua mulher acaba ficando muito nervosa com algumas atitudes (ou falta de atitude) e em um momento de fúria acaba quebrando o seu instrumento. O tar tem um tremendo valor para Nasser, é o instrumento que o tornou um homem, como se fosse uma parte de seu corpo, faz parte de sua vida.

Sem seu instrumento a vida de Nasser é transformada. “Nasser não pode comprar outro tar?” – É o que o leitor pode se perguntar. A questão é que nenhum outro instrumento soa como o seu antigo. No livro vamos acompanhar a vida de Nasser após a perda do seu instrumento precioso. Será que as coisas podem voltar ao normal? Nasser consegue perdoar sua mulher? Várias etapas tornam “Frango com Ameixas” uma história única e cheia de sentimentos. Amor, felicidade, arte e desejo são os “ingredientes” que montam essa história.

Filme – Frango com Ameixas

Em 2011 uma adaptação da graphic novel foi lançada para o cinema. A filme foi dirigido por Vincent Paronnaud e pela própria Marjane Satrapi (assista ao trailer)

Tudo é contado em poucas páginas por Marjane Satrapi de forma transparente e cheia de sentimentos. A arte de Marjane é simples mas muito eficiente, consegue transmitir de tudo um pouco. Fica aqui a dica de uma HQ que serve tanto para descontrair como para repensar alguns conceitos.

NOTA DO SR. MACHADO – 7/10

Autora: Marjane Satrapi | Editora: Cia das Letras | Gênero: Graphic Novel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s