Resenha | A Ilha do Dr. Moreau, H.G. Wells

À deriva, sem esperanças de sobreviver em alto mar, Charles Prendick é resgatado por um navio em missão das mais incomuns: levar a uma pequena ilha no Pacífico algumas espécies de animais selvagens. Ainda debilitado, Prendick é obrigado a desembarcar na ilha junto com o carregamento. Lá, ele conhece a figura do dr. Moureau, um cientista que, exilado por suas pesquisas polêmicas na Inglaterra, realiza experimentos macabros com seus animais. Uma parábola sobre a teoria da evolução, também uma mordaz sátira social, “A ilha do dr. Moreau” é um romance que, mais de cem anos após sua publicação original, permanece com a mesma força da surpresa e do horror.

“A Ilha do Dr. Moreau” foi meu primeiro contato com a obra de H.G Wells. Quando descobri o livro logo fiquei muito interessado em começar a leitura, a sinopse me prendeu logo de cara. Gosto muito de histórias que se passam em um local isolado, como é o caso desse livro, onde Prendick relata como foi sua experiência após sofrer naufrágio da embarcação Lady Vain. Vamos conhecer como Prendick foi salvo pelo médico Montgomery por outra embarcação e acabou indo parar em uma ilha onde coisas estranhas acontecem.

O livro vai falar muito sobre a vivissecção, processo onde animais são manipulados e transformados em criaturas diferentes. No livro o Dr. Moreau, dono da ilha, faz experimentos com diversos animais. Moreau já mora na ilha a anos, onde conta com a ajuda do médico Montgomery. O leitor vai acompanhar os momentos de terror e angustia de Prendick nessa ilha onde Moreau pratica a vivissecção. Debilitado e sem encontrar nenhuma maneira de ir embora, Prendick terá que conviver com as aberrações que ali existem.

A narrativa de H.G. Wells é fácil, apesar de todas as referências científicas. O enredo consegue prender a atenção, criando aquele clima onde você sempre vai querer saber o que vai acontecer. Como Prendick vai sobreviver em uma ilha onde coisas tão estranhas acontecem? Será que o melhor a fazer é se adaptar? H.G. Wells me surpreendeu, sua ficção é simples e inteligente.

O livro foi transformado em filme em 1977 tendo como ator principal Burt Lancaster. Mais recentemente, um filme estrelado por Marlon Brando, A ilha do Dr. Moreau (1996), tentou contextualizar o enredo usando ciência moderna: engenharia genética e eletrônica. (Assista ao trailer)

Após a leitura fui pesquisar quais são os outros livros do autor e descobri que ele possui outras obras consideradas clássicos desse gênero. A editora Alfaguara tem ótimos títulos publicados como “A Guerra dos Mundos”, “A Máquina do Tempo” e “O Homem Invisível”. Tenho interesse em ler todos, H.G. Wells é o tipo de autor que eu descobri com um certo “atraso” mas que me proporcionou uma experiência muito boa.

NOTA DO SR.MACHADO – 08/10

Autor: H.G. Wells | Editora: Alfaguara | Gênero: Ficção Científica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s