Música | A ficção científica em um clássico de David Bowie

The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars

Um verdadeiro clássico, um dos melhores álbuns dos anos 70. Hoje vou comentar um trabalho grande tanto no nome como em sua qualidade. “The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars” foi lançado por David Bowie em 1972 e logo ganhou destaque.

Considerado uma dos melhores (talvez o melhor) trabalhos do camaleão do rock, o álbum tem como personagem o alienígena Ziggy Stardust, um ser que chega para salvar a Terra que seria destruída em cinco anos. Bom, esse era o objetivo, mas as coisas começam a desandar para Ziggy quando ele forma uma banda chama “Spiders from Mars”, se tornando assim uma estrela e cedendo aos exageros do rock ‘n’ roll.

Tomei a decisão de comentar esse álbum aqui no blog não só pelo fato dele ser um dos meus álbuns favoritos de todos os tempos, mas também pelo que David Bowie conseguiu fazer dando um toque de ficção científica a sua obra. Música e ficção científica – esse é o motivo.

Logo na primeira faixa, “Five Years” serve como apresentação de Ziggy Stardust, onde ele vai nos contar sobre todo o sofrimento que existe aqui na Terra. A música ganha peso quando vai se aproximando do final e Bowie berra com todas as forças aquela situação. “Soul Love”, segunda faixa,  traz positividade e fala sobre amor.

“Moonage Daydream”, terceira faixa, fala sobre a intervenção dos marcianos. O vocal de Bowie nessa música é bem diferente, chega a ser bem afeminado. Chega a vez de “Starman”, grande destaque do álbum onde a chegada de Ziggy é concretizada. A letra é tranquilizadora, gera uma espécie de esperança.

“It Ain´t Easy” quinta faixa, fala sobre as dificuldades que se encontram no caminho. “Lady Stardust”, sexta faixa, fala sobre a sexualidade de Ziggy e cita pela primeira vez sua banda, chamada “Spiders from Mars”.

“Star”, sétima faixa, é basicamente uma lição de como se tornar um ídolo. “Hang Onto Yourself”, oitava faixa, possui um grande trabalho instrumental, dando todo um clima ao álbum conceitual.

“Ziggy Stardust” também chega como destaque e mostra a decadência que um astro pode sofrer. “Suffragette City” décima faixa, é uma música divertida, antecede o trágico fim de Ziggy. “Rock´n´Roll Suicide” vem para concluir a obra de Bowie, aqui temos o astro Ziggy cometendo suicídio.

São com essas 11 faixas que David Bowie criou esse grande clássico, um álbum para ninguém achar defeito. É certamente algo que todos devem ouvir pelo menos uma vez na vida, principalmente aqueles que gostam de ficção científica. Não é fácil falar sobre qualquer coisa de David Bowie, principalmente um clássico como esse, onde podemos ter diferentes interpretações. Se você tem outra opinião e interpretações para esse álbum deixe nos comentários.

NOTA DO ÁLBUM – 10/10

Artista: David Bowie | Ano de lançamento: 1972 | Gênero: Glam Rock

2 comentários sobre “Música | A ficção científica em um clássico de David Bowie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s